Menu

« »

Content

Gastronomia Medieval na República Tcheca

2016  é o ano da celebração dos 700 anos do nascimento de  Carlos IV, na República Tcheca. Parte das comemorações incluem descobrir um pouco mais da história e da vida cotidiana  deste soberano. Aqui, um pouco do menu do rei, conforme era há 700 anos. O peixe lucio recheado com amêndoas, carne de caça, vinho ou pão estavam entre os alimentos favoritos do rei e imperador Carlos IV.

Sabe o que havia na mesa real na época medieval?

  1. Carne de caça, sua  preferida
    Carlos IV gostava de carne de caça – tanto no prato como no bosque. Saboreava  codornas, cervos, coelhos ou carne de porco defumada. Gostava de caçar, por exemplo, nos bosques de  Beroun, onde fica seu  amado castelo Karlštejn. Segundo a lenda, foi  durante uma caçada que ele teria descoberto fontes nos bosques do Castelo de Loket.  Provou das águas medicinais, com efeitos curativos e ali fundou a cidade balneária mundialmente conhecida de Karlovy Vary.

A carne de caça era também uma comida importante do ponto de vista simbólico – não poderia faltar na mesa dos nobres  -  porque era un símbolo de riqueza.

gastronomiamedieval

  1. Condimentos
    Carlos IV gostava de  comidas condimentadas. As comidas aromáticas e sabores fortes eram símbolos da Cozinha dos aristocratas e em geral uma qualidade típica da gastronomia medieval. Nos castelos e palácios se condimentava com gengibre branco ou com canela,  e os súditos   acrescentavam sementes de mostarda ou açafrão. Os condimentos tinham muitas funções na cozinha medieval: além do sabor, acrescentavam calor e ajudavam na digestão.
  1. Pão
    O pão era, na época medieval, uma parte importante e cotidiana na vida de dos súditos, da nobreza e do imperador. Carlos IV, como cristão, comia pão branco. Além disso, como rei, se permitia pães maiores, com o tamanho de sua mão. Uma grande fraqueza do rei  Carlos era a manteiga. Diz a lenda que em suas visitas a  Karlštejn ou em Praga desfrutava de pão coberto com manteiga, com a grossura de um dedo humano.

Jejum e peixes
Carlos IV, como um bom cristão,  jejuou muitas vezes e uma vez  isso salvou sua vida. Durante uma visita de Estado a Paris, um assassino envenenou o café da manhã dos nobres. Carlos IV escapou do ataque porque ele estava de jejum antes da missa. Graças a este fato o Rei Carlos sentia-se protegido por um poder superior.

Durantea Idade Média, o rei mandou construir um lago artificial perto de  Karlštejn  para ali  poder criar peixes. Seu favorito era o lucio recheado de amêndoas que desfrutava nas festas religiosas.    botao voltar

 

Rosângela Cianci

Rosângela Cianci. Jornalista, blogueira, repórter, apresentadora, produtora de TV e idealizadora do site Universo de Rose. Incansável observadora do cotidiano, apaixonada pelo que faz. Ex-Secretária Executiva, sempre lidou com Diretoria e Presidência mas prestes a completar Bodas de Prata na área, resolveu desengavetar um sonho antigo: o Jornalismo. E partiu pra nova luta com 40 (e uns anos), "pois meu negócio é escrever e conversar sobre assuntos de A a Z"...

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.