Menu

« »

Content

Vício por comida saudável gera sérios problemas

 A mudança de comportamento dos brasileiros perante a comida mudou ao longo dos últimos seis anos

 

Já diz o ditado popular: "Tudo o que é demais, é sobra!". E, de acordo com a nutróloga Liliane Oppermann, um novo distúrbio alimentar chamado de ortorexia surgiu para designar os viciados em comidas saudáveis. “A nova doença da década, ainda não reconhecida pela Organização Mundial da Saúde, afeta os novos consumidores porque os obriga a ler e analisar rótulos compulsivamente e torna obsessivo o consumo de alimentos sem influência química, tornando a dieta pobre em nutrientes básicos para o funcionamento do organismo, explica a nutróloga.

Segundo estudo realizado no final do ano passado, o consumo de alimentos orgânicos, de baixa caloria e alimentos específicos para diabéticos e alérgicos a lactose e glúten cresceu mais de 80%, se comparado ao inicio do século. A projeção para o consumo saudável é de que até 2014 o mercado cresça ainda mais 39%. Porém, a intolerância as gorduras trans e a obsessão pela ingestão de produtos sem corantes, conservantes e agrotóxicos pode deixar de ser saudável e causar transtornos à saúde alimentar. 

belezanamesa2

Para tornar possível a alimentação 100% saudável, os afetados pelo distúrbio deixam de comer itens enlatados, confeccionados com a utilização de açucares e de procedência desconhecida. A restrição do cardápio dos ortoréxicos diminui significativamente a quantidade de vitaminas necessárias para uma dieta balanceada. “O extremismo leva à deficiência de ferro, zinco, vitamina B12 e cálcio no corpo. Em conseqüência desse radicalismo podem surgir doenças como a anemia, aumentar o risco de doenças imunológicas, hipertensão e outras”, afirma Liliane.

Os indivíduos que sofrem com o transtorno ainda podem desenvolver problemas psicológicos como a depressão, irritabilidade e insônia e apresentar sinais de afastamento da sociedade. “Os ortoréxicos raramente consomem comidas preparadas por terceiros, o que afeta diretamente a vida social e torna o convívio com familiares e amigos quase impossível”, alerta a nutróloga.

Os hábitos alimentares rígidos são responsáveis pelo surgimento de outros transtornos alimentares como a bulimia e a anorexia, doenças que afetam gravemente a população brasileira, por isso, deve-se ficar atento até que ponto é viável consumir apenas comidas saudáveis, sem nunca sair da dieta.

Segundo um estudo divulgado em 2012 pela Organização Mundial de Saúde, a cada 13 dias morre um brasileiro em consequência de distúrbios alimentares. Sobre o tratamento da ortorexia, a nutróloga Liliane afirma que é indispensável também o acompanhamento psicológico e, claro, a modificação da dieta através dos esforços nutricionais. “O trabalho da nutrição só é eficaz com o tratamento a partir da psicologia comportamental e do seu médico, seja ele nutrólogo ou endocrinologista, pois permite que os pacientes se abram para a nova reeducação alimentar e auxiliem o trabalho da nutrologia quanto a desmistificação sobre os produtos industriais presentes no mercado”, conclui a utrólogna.

A Doutora Liliane Oppermann é Médica Nutróloga, com título de Especialista pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) e Ex-Diretora da Associação Médica Brasileira de Ortomolecular (AMBO). É capacitada em Nutrologia Esportiva, Diabetes, Obesidade Infanto Juvenil e em acompanhamento pré e pós Cirurgia Bariátrica. Pós-Graduada em Gastronomia Funcional, Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, Palestrante com diversos temas na área da saúde física, emocional e alimentação saudável para público leigo ou profissionais da área. Desde 2002 se dedica ao Estudo da Obesidade. Elaborou o Método de Emagrecimento Dieta DC em 2008 e junto com a Prática Ortomolecular vem acompanhando seus pacientes. 

Saiba mais: www.doutoraliliane.com.br  

botao voltar

Rosângela Cianci

Rosângela Cianci. Jornalista, blogueira, repórter, apresentadora, produtora de TV e idealizadora do site Universo de Rose. Incansável observadora do cotidiano, apaixonada pelo que faz. Ex-Secretária Executiva, sempre lidou com Diretoria e Presidência mas prestes a completar Bodas de Prata na área, resolveu desengavetar um sonho antigo: o Jornalismo. E partiu pra nova luta com 40 (e uns anos), "pois meu negócio é escrever e conversar sobre assuntos de A a Z"...

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.