Menu

« »

Content

Como prevenir e tratar vasinhos e varizes no verão

 

No verão, além das indesejadas gordurinhas, o brasileiro tem se preocupado cada vez mais com as varizes. O problema já atinge cerca de 38% da população – dentro da qual 30% dos casos ocorrem entre homens. Caracterizada pelo aparecimento de veias tortuosas, bastante dilatadas e de coloração púrpuro-azulada, principalmente na região da panturrilha, as varizes podem comprometer a saúde e não são tão simples de serem tratadas. Outro incomodo nessa época do ano, principalmente entre as mulheres, são os vasinhos. Embora sejam inofensivos, eles aparecem em diferentes partes do corpo, além das pernas, e também podem prejudicar o visual.

Os fatores de risco começam logo cedo. Vasinhos e varizes costumam aparecer após os 20 anos de idade. Entre as hipóteses mais aceitas a respeito de seus fatores de risco está a teoria de que eles são causados por uma predisposição genética, associada a diferentes situações, como carregamento excessivo de peso, obesidade, gestação, muitas horas em pé ou sentado em longas viagens, por exemplo, anticoncepcionais e até o uso frequente de sapatos de salto alto. No entanto, ainda é impossível prevenir ambos os problemas totalmente. Dr. Gilberto Narchi, cirurgião vascular do Hospital do Coração (HCor) esclarece: “Pelo método tradicional, era preciso realizar incisões na perna do paciente para retirar os vasos lesionados. Isso gera incomodo e muita dor no período pós-operatório. O tempo de recuperação também é longo. Leva, no mínimo, 15 dias”, esclarece.

varizes1

“Os vasinhos são capilares da pele que se dilatam sem explicação, assumindo tons avermelhados ou de roxo em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seios, abdômen, costas, pernas ou pés.as varizes são ocasionadas pelo mau funcionamento de válvulas dentro das veias que reconduzem o sangue dos membros inferiores ao coração (retorno venoso). Esse problema faz com que o sangue fique represado nas safenas, entre outros vasos das pernas, provocando deformações, inchaços, alterações na sensibilidade da pele, além da sensação de peso ao caminhar, queimação, cansaço e edemas ao redor do tornozelo”, diz o Dr. Narchi.

Como alternativa ao método tradicional, o cirurgião vascular adota em seus pacientes no HCor uma técnica de tratamento de vasinhos e varizes baseada no uso de laser. O procedimento consiste em introduzir uma microfibra ótica da espessura de um fio de nylon na veia doente. Em seguida, dispara-se o laser, por meio dela, dentro do vaso lesionado, colabando-o totalmente. “Nesse tipo de cirurgia utilizamos também um ultrassom doppler intra-operatório. Com ele, podemos visualizar o que acontece durante o procedimento e controlar o raio que é disparado intravenosamente”, explica o médico.         

Ao proporcionar uma recuperação mais rápida, essa técnica também permite que o paciente tenha alta no mesmo dia, retorne às atividades cotidianas dentro de 24 horas e pratique exercícios mais pesados depois de uma semana. A única recomendação é não tomar sol intenso no local da operação por cerca de 30 dias. “Atualmente, o HCor é um dos poucos hospitais do país que dispõem deste recurso. Ao oferecê-lo, permitimos que os nossos pacientes tratem problemas vasculares desse tipo com eficácia, sem ter que deixar de aproveitar o verão”, explica o cirurgião vascular. “Afinal, esse tipo de problema inibe as pessoas de usar roupas mais condizentes com a estação, como bermudas, biquínis ou shorts mais curtos”, considera.     

Para prevenir, o Dr. Narchi, fornece medidas simples, como evitar ficar em pé ou sentado na mesma posição por muito tempo, se alimentar de maneira saudável, praticar atividades físicas e evitar sobrepesos, pois, minimizam bastante as chances de aparecimento de vasinhos e varizes. “Embora não possamos determinar quando e em quem esses problemas podem aparecer, a simples difusão desses cuidados pode livrar muita gente de ter que lidar com eles no futuro”, diz o médico do HCor. “Isso é fundamental. Afinal, as varizes, por exemplo, já é 14ª causa de afastamento do trabalho e a 32ª de aposentadoria por invalidez no Brasil”, alerta.

Veja como diminuir o risco de ter vasinhos e varizes:

·         Evite excesso de peso.

·         Adote uma alimentação equilibrada.

·         Consulte um médico antes de começar um tratamento com pílula anticoncepcional.

·         Evite passar o dia na mesma posição. Se não puder, ande, dê alguns passos. Isso ajudará a liberar e estimular a circulação sanguínea.

·         Tenha cuidado com exercícios como musculação ou aeróbica de alto impacto. Esse tipo de atividade provoca maior tensão nos vasos e, consequentemente, a sua dilatação.

·         Sempre que possível, deite-se e eleve as pernas para favorecer o retorno venoso, já que os pés ficarão mais altos que o coração.

·         Não fume. Além de ser prejudicial à saúde, o cigarro, combinado com outros hábitos não saudáveis, pode ocasionar entupimento ou obstrução das artérias.    

·         Para estimular a circulação sanguínea, use meias elásticas de compressão. Mas sempre sob orientação médica.

·         Jamais trate vasinhos e varizes sem o acompanhamento de um cirurgião vascular.

·        Em caso de rompimento e sangramento das veias, por causa de varizes, fazer a compressao local e após cessar a hemorragia deve-se procurar um pronto atendimento. 

E não pense que os homens escapam das temidas varizes. No Brasil, cerca de 70% dos casos de varizes ocorrem entre as mulheres, porém os homens costumam ser vítimas das variações mais graves da doença. Por isso, o controle da propagação do problema em homens é outra importante frente de trabalho dos cirurgiões vasculares do HCor. “Assim como as mulheres, os homens podem desenvolver varizes mais finas, reticulares e tronculares. Este último tipo, porém, é o mais comuns entre eles”, diz o Dr. Narchi. “Por isso é fundamental conscientizá-los da gravidade do problema. Afinal, varizes desse tipo são muito perigosas, já que ficam ainda mais expostas e podem levar à flebite (inflamações nas paredes dos vasos) com bastante facilidade.”
 

De acordo com o médico, a maioria dos homens não dá a devida atenção ao problema por falta de informação. Segundo ele, muitos só vão procurar tratamento quando a doença chega a um estado crítico. E pior: quase todos jamais tomaram qualquer atitude preventiva em relação às varizes. “As causas do problema são as mesmas em homens e mulheres. Contudo, em alguns aspectos, eles podem correr riscos ainda maiores. Afinal, consomem muita gordura, costumam carregar mais peso, e, quando não carregam, têm um estilo de vida bastante sedentário”, explica o médico. “Por isso, é fundamental que possamos fornecer informações sobre varizes e combatê-las também entre a parcela masculina da população”, conclui.

 Até a próxima semana!!!botao voltar

Rosângela Cianci

Rosângela Cianci. Jornalista, blogueira, repórter, apresentadora, produtora de TV e idealizadora do site Universo de Rose. Incansável observadora do cotidiano, apaixonada pelo que faz. Ex-Secretária Executiva, sempre lidei com Diretoria e Presidência mas prestes a completar Bodas de Prata na área, resolvi desengavetar um sonho antigo: o Jornalismo. E parti pra nova luta com 40 (e uns anos), pois meu negócio é escrever e conversar sobre assuntos de A a Z...

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.