Menu

« »

Content

Michele Crispim conquista o paladar dos jurados e vence a 4ª temporada do MasterChef Brasil.

Finalista, Michele Crispim foi capitã uma vez, teve quatro vitórias e também foi destaque positivo nas provas outras cinco vezes. Durante a competição, quase foi eliminada em três ocasiões. 

Ela venceu um duelo de culinárias internacionais e carimbou o passaporte para a cozinha mais famosa do Brasil. Se destacou logo na primeira prova de eliminação, ao reproduzir um prato de cupim do chef Henrique Fogaça e adaptá-lo com os sabores do cupim feito por seu pai nos churrascos em casa.

Após uma sequência de resultados médios, voltou a se destacar na prova de pratos típicos de países da América do Sul. Apostou no óbvio e encantou os jurados. Percebeu que tinha chances de chegar à final do programa ao reproduzir um prato premiado de Paola Carosella, o nero di seppia com lagostins frescos, e ganhou mais confiança em si mesma.

Michele conquistou seu avental com uma estratégia arriscada. Preparou um petit gateau de doce de leite com calda de frutas vermelhas para o chef Erick Jacquin.

Desde então, embalou em uma sequência de vitórias e bons desempenhos: preparou rã apesar do medo, cozinhou para empreendedores e surpreendeu a todos com uma terrine e um ragu de pato no repolho. Conquistou assim, a tão sonhada vaga na final.

Michele Crispim conquistou o paladar dos jurados e venceu a quarta temporada do MasterChef Brasil. Na final, a catarinense mostrou habilidade ao preparar um menu com influências da gastronomia francesa.

Como entrada, a cozinheira serviu tutano assado com cogumelos ao pesto e crosta de panko. O prato principal foi um delicioso cupim com osso de pupunha ao molho jus, purê de alho-poró e crispy de raízes. Para finalizar, a sobremesa servida foi um tartar tropical.

Michele levou para casa um prêmio de R$ 200 mil, uma bolsa de estudos na Le Cordon Bleu, em Paris, um ano de compras no cartão Carrefour no valor de mil reais por mês, um kit de produtos Tramontina e o sonhado troféu de MasterChef Brasil.

Michele1

Em entrevista ao Portal da Band, Michele falou sobre a vitória e revelou se existe ou não amizade entre ela e Deborah Werneck, segunda colocada da competição.

Como você se sente vendo toda essa torcida por você?

Me senti tão abraçada pelo Brasil inteiro que com certeza eu dei muito atenção a esse carinho que eu estava recebendo do público. A hashtag #GanhaMichele fala por mim e tem muita gente aí feliz com a minha vitória, querendo me abraçar e é para eles esse troféu aqui.

Você acredita que a sua humildade ajudou a vencer o MasterChef?
Acho que a humildade ajuda qualquer pessoa. Aqui é um é programa para amadores. Se a pessoa chega aqui com uma postura de profissional, de saber tudo, ela não vai crescer, então a minha trajetória foi de superação e de crescimento.

Teve algum momento na competição que você pensou em desistir?
Estar na cozinha do MasterChef é muito difícil. Foram 27 mil inscritos, então as provas têm um alto nível de dificuldade. Em algumas eu tive dificuldade, sim, mas sempre tive a humildade de ouvir as críticas dos jurados, aprender com elas e aos poucos fui confiando em mim, acreditando que seria possível e hoje estou aqui.

Você disse uma vez que sentiu que poderia chegar à final depois de vencer a prova da Paola Carosella. Por quê?

Porque foi a minha primeira vitória, foi uma prova de reproduzir uma prato premiado que não era fácil e eu estava ao lado de competidores muito fortes, então se eu consegui superá-los naquele momento foi um sinal para mim de que isso poderia continuar acontecendo. Passei a acreditar mais em mim, não só na cozinha como em outros aspectos da minha vida. Sempre fui um pouco insegura e o MasterChef me ajudou a mudar. Ele foi determinante nessa melhora de postura.

Michele2

Como foi sua virada no jogo?

Eu comecei o programa bem, tive dois destaques positivos de início e depois caiu muito o meu rendimento. Eu percebi que o que eu estava estudando não estava sendo suficiente, então eu acabava a agravação, ia para casa cansada e cozinhava de novo. Estudava e cozinhava novamente porque eu vi que meus companheiros eram muito fortes. Acho que essa dedicação fez toda a diferença.

Você sempre acreditou na sua vitória?

Eu estava confiante. Saí satisfeita quando entreguei todos os pratos, com a sensação de dever cumprido.

Existe amizade entre você e a Deborah?

Eu a admiro muito, tanto que eu arrisquei demais nos meus pratos porque sabia que ela era muito competente e que iria entregar um bom trabalho. Para mim era tudo ou nada: ou eu ganhava ou iria perder de lavada e graças a Deus deu certo. Amizade a gente constrói ao longo do tempo e tenho certeza que se a gente se encontrar vai ser construída, sim.

Quais são seus planos para o futuro?

Agora eu pretendo me dedicar totalmente à gastronomia, fazer meu curso, estudar, trabalhar em um bom restaurante para depois ter meu negócio próprio.botao voltar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Carlos Cianci

Arquiteto,  formado há mais de 30 anos, com vasta experiência em projetos residenciais e comerciais, além de uns toques de paisagismo e design de interior. Neste universo todo, vou trazer para você, de forma prática, o melhor da arquitetura - tanto nacional como internacional e ainda te deixar por dentro das mais variadas e curiosas criações gastronômicas. Caso queira fazer uma consultoria, sinta-se a vontade, entre em contato e...boa leitura!!!

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.