Menu

« »

Content

Gabriel Medina, surfista, conta um pouco de sua rotina e o que não pode faltar em sua mochila

 

O campeão brasileiro fala de sua alimentação básica, treinos e confessa que é desapegado, mas não sai de casa sem 5 itens essenciais para o seu dia a dia

As férias acabaram para muitos - menos para Gabriel Medina, cria do mar de Maresias e primeiro brasileiro campeão mundial de surf, que vive entre uma viagem e outra para competições.Ele entrou para a elite do surfe aos 17 anos. Em 2014, três anos depois, em Pipeline, no Havaí, o jovem se tornou o primeiro brasileiro campeão mundial. Fenômeno de popularidade, Medina arranca suspiros das jovens e a admiração dos fãs de surfe. Com 1,81 e 74kg, a alimentação do atleta é uma parte importante quando se trata do seu bom desempenho dentro d'água. Na mesa, um prato típico brasileiro se destaca como preferido.

gmedina1

Antes de contar o que não pode faltar em sua mochila, deixe-me relembrar que Gabriel começou a surfar aos nove anos. Aos onze, venceu seu primeiro campeonato a nível nacional, a etapa Rip Curl Grom Search na categoria Sub-12. A partir daí, venceu campeonatos do Brasileiro Amador e foi campeão dos circuitos Volcom Sub-14, Quicksilver King of Groms, Rip Curl Grom Search e tricampeão Paulista. Na Califórnia, EUA, foi vice do Volcom Internacional Sub-14 e, no Equador, vice-campeão do Mundial Amador Sub-16. Não parou mais, de lá pra cá, foram vários títulos e países até o momento.

Vamos às malas... por estar frequentemente fora de casa o primeiro item que tem sempre em mãos é a carteira: Como viajo muito para participar de torneios e competições, preciso sempre de meus documentos comigo”. Estar sempre na estrada também é o motivo pelo qual o surfista não desgruda de dois outros itens: seu celular e o carregador.Para mim, é muito importante estar sempre conectado, assim posso falar com a minha família que tanto me apoia e me dá forças para continuar na luta. Gosto também de conversar com os amigos e postar nas redes sociais sempre que posso. Meus fãs são incríveis e me incentivam a buscar cada vez mais”.

gmedina3

Para relaxar, Medina não abre mão de levar sempre consigo a sua caixa de som bluetooth que o acompanha em diversos momentos: Gosto de vários tipos de sons, mas ultimamente tenho ouvido muito rap, hip-hop e folk. A música é muito presente na minha vida e me ajuda em todas as horas, tanto para me acalmar quando estou nervoso nas vésperas de uma competição importante, quanto para me estimular durante os treinos”.

Para completar, o campeão brasileiro também não sai de casa sem protetor solar. “Como me exponho muito ao sol, seja treinando ou durante as competições, preciso tomar cuidado com a pele. Gosto de usar Coppertone® Sport, que é resistente à água e ao suor. Também estou sempre com meu Coppertone® Tattoo, para proteger minhas tatuagens. A versão spray é fácil de passar. Para garantir a proteção, procuro reaplicar frequentemente”.

gmedina4

Saudável no prato e na onda, Medina treina pelo menos três horas por dia e come o básico de forma equilibrada: “Sei que preciso me alimentar bem, pois é muito importante para o meu desempenho. Eu exijo bastante do meu corpo. No meu prato sempre tem muito arroz, feijão, frango e salada. Gosto também de comer macarrão. Antes de uma competição, meu café da manhã é sempre pão de queijo, chocolate quente e uma omelete. E eu não tomo nenhum suplemento”, conta Medina.

Allan Menache treina Gabriel Medina desde 2011 e para se acostumar com a diversidade das ondas, e o nível exigido em cada etapa, Allan faz um treino completo e bastante variado para o campeão Mundial. Ele obedece a todas as ordens do seu preparador físico e a rotina de treinos pode variar de acordo com as necessidades do surfista e com o tipo de onda que ele vai enfrentar. A ideia do treinador é tentar levar novos desafios para Medina todos os dias e deixá-lo motivado. Mesmo quando tem um tempo livre durante a competição, sair da água não é uma opção para o atleta.

gmedina2

Gabriel fala que “quando rola lay day (mar sem ondas) durante as etapas, principalmente, procuro surfar e não paro. Não posso relaxar muito porque para recuperar depois é mais complicado. Surfo mais ou menos duas horas por dia mesmo que esteja rolando o campeonato, explica.

O treinador de Medina não o acompanha nas 11 etapas do circuito. Quando está longe, procura se manter presente por meio de mensagens pelo celular e garante que não tem com o que se preocupar, pois o padrasto e técnico de Gabriel, Charles, está ao lado do surfista em todas as viagens e o orienta no período todo, sempre estimulando e fazendo a manutenção, disse.

“O Allan não fica muito no meu pé. Mas ele exige que eu durma cedo, me alimente bem, me prepare. Eu sei o que é bom pra mim. Se algo acontecer, sei que vou me prejudicar. Gosto de treinar e não de ficar parado. O surfe é excelente porque eu passo o dia na água”, afirma.

O campeão ainda reforça a relação de parceria com a marca, referência mundial em proteção solar: “Nesse verão, lancei junto com Coppertone® o Movimento #ContaComigoMedina. Na venda de cada protetor solar da marca, a companhia destinará um real para o meu instituto”. Com inauguração em janeiro de 2017, o Instituto Gabriel Medina é uma iniciativa do surfista, que está construindo um complexo para oferecer atividades educacionais e esportivas a crianças e adolescentes da região de Maresias.

Imagens: Divulgação / Carlos Cianci

botao voltar

Salvar

Rosângela Cianci

Rosângela Cianci. Jornalista, blogueira, repórter, apresentadora, produtora de TV e idealizadora do site Universo de Rose. Incansável observadora do cotidiano, apaixonada pelo que faz. Ex-Secretária Executiva, sempre lidou com Diretoria e Presidência mas prestes a completar Bodas de Prata na área, resolveu desengavetar um sonho antigo: o Jornalismo. E partiu pra nova luta com 40 (e uns anos), "pois meu negócio é escrever e conversar sobre assuntos de A a Z"...

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.