Menu

« »

Content

Glória Maria: sinônimo de mundo e desafios constantes

Glória Maria Matta da Silva, ou simplesmente, como é conhecida:  jornalista Glória Maria. Ela tem muita história pra contar. Abriu portas e imprimiu sua marca. É um dos nomes mais lembrados do jornalismo brasileiro.

gloria7Sempre bradou por aí que a liberdade é o bem mais precioso que alguém pode ter. Glória entrevistou várias pessoas anônimas & famosas em boa parte do Planeta. Tornou-se conhecida pelas reportagens especiais no mundo afora, de viagens a lugares exóticos dentre muitas outras - conhece mais de 120 países. Em uma linguagem que mistura na medida certa jornalismo e entretenimento, ela diz que “ainda não perdi o fôlego e vontade de descobrir coisas novas. Quero muito ir ainda para a Somália, a Etiópia,... os desafios são constantes”, afirma.

gloriamaria1

Formada em Jornalismo pela PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), Glória começou cedo, na década de 1970 quando estava terminando o ginásio e foi para a Rede Globo a convite de uma colega, para trabalhar como estagiária. Logo que chegou lá para trabalhar na redação do Jornalismo, viu que era isso que queria para a sua vida. Sempre adorou escrever e se tornando repórter, poderia fazer isso. Nascia ali a oportunidade que dura até hoje. Depois de um ano, foi contratada e passou a trilhar seus caminhos na mídia e quebrar paradigmas. Foi ela a primeira repórter negra da TV brasileira, e foi ela também que pela primeira vez fez uso da “Lei Afonso Arinos” que proibia a discriminação racial no Brasil – ao ser impedida de entrar pela porta da frente de um hotel pelo gerente do estabelecimento.

Glória Maria  já integrou as equipes do “Jornal Hoje”, “Bom Dia Rio” e “RJTV”. Ela entrou para o “Fantástico” em 1986 e apresentou o dominical de 1998 a 2007, ao lado de Pedro Bial. Após um período sabático de dois anos, se tornou mãe em dose dupla. Voltou ao trabalho na equipe do “Globo Repórter” e após se reunir com os diretores de jornalismo da TV em 2010, ficou decidido que ela seria repórter especial do Globo Repórter, programa do qual ela faz parte até os dias de hoje, chegando a algumas vezes apresentar ao lado de Sérgio Chapelin e até mesmo substituí-lo.

E como acontece em todas as viagens de Glória - que já trouxe na mala até lama do Mar Morto, de uma viagem a Israel - ela aproveita para comprar produtos de embelezamento.  "Trouxe muitos cremes. Acho que realmente eles deixam a pele mais saudável, com mais viço. As vietnamitas têm a pele bonita. Estou usando e sentindo que a minha está bacana", explica Glória.

Na 9º edição do “Troféu Mulher IMPRENSA”, Glória Maria foi condecorada com o “Troféu Mulher IMPRENSA de Contribuição ao Jornalismo” em cerimônia realizada em São Paulo (SP), no dia 11/03 pelo conjunto da obra e por seu pioneirismo em diversas frentes. E eu tive a honra de participar da premiação (edição em que são eleitas as profissionais que se destacaram no jornalismo brasileiro. Mulheres que brilham - sejam elas jornalistas, CEOs, donas de casa ou as três coisas ao mesmo tempo). Foi uma festa muito bacana; tanto os convidados, quanto as jornalistas premiadas estavam num clima de total alegria e descontração. E minha entrevista com Glória começou nessa festa...

Apesar de sua agenda apertadíssima, Glória conversou com o Universo de Rose, além de ter me concedido outra entrevista (para a revista Classe A: “Uma joia do Jornalismo no mundo”). Ela fala um pouco sobre a carreira e vida pessoal com um pique inspirador. Vale à pena conferir!

Universo de Rose: Você foi a 1ª repórter negra da televisão brasileira. Encontrou muitas barreiras pelo caminho, apesar de trabalhar na maior emissora do País?

Glória Maria: Sim, fui realmente a primeira repórter negra da televisão e também a primeira repórter negra a entrar ao vivo numa transmissão a cores no Jornal Nacional. Encontrei e encontro barreiras sempre, mas no dia a dia tem que ir quebrando, derrubando ou contornando. No Brasil, viver aqui ainda é mais difícil, é uma corrida de obstáculos. Mas vou enfrentando...

gloria3

UR: Você viajou o mundo -   mais de 120 países para realizar grandes coberturas. Qual delas mais te marcou?

GM: Ah, foram várias. Minha primeira cobertura foi a posse do presidente americano Jimmy Carter em 1977, Washington. Foi minha primeira viagem internacional, me marcou muito. A embaixada japonesa, ter participado das Guerras Malvinas, Copa do Mundo. Recentemente fui ao Vietnã para gravar o Globo Repórter, fiquei 28 dias. Gostei de tudo, mas acima de tudo do povo. É um país que foi devastado pela guerra, um povo que foi privado de tudo e que hoje consegue ser feliz e generoso. Adorei visitar Hanói e a antiga Saigon (atual Ho Chi Minh). E Halong Bay é maravilhosa, Difícil dizer o que mais gostei, sou resultado disso tudo, amo cada pedacinho por onde passo, tudo me encanta - a cultura, o local, as amizades, tudo, tudo...

UR: Qual o país mais te encantou nessas voltas pelo mundo?

GM: São muitos lugares! África é linda, amei! França gosto muito... a Índia, cada vez que vou lá amo mais, é um país revelador a cada viagem. Dubai é lindo! Sou de ninguém, sabe?

gloria5

UR: Apresentadora, repórter, grandes coberturas - o que você mais gosta de fazer?

GM: Reportagem, de estar no mundo, aprendendo, vivendo. Nada me encanta mais do que conhecer gente. Aprender e quando estou no mundo, com pessoas, aprendo. E isso só é possível através de reportagens. Viajar, aprender e entender pelo mundo...

UR: Como lida com o fato de ser reconhecida por onde quer que passe?

GM: Não dou a menor importância pra isso. Quando fui para a TV, não tinha isso, paparazzi. O telejornalismo não tinha este glamour que as pessoas enxergam hoje. Mas é bom saber que as pessoas gostam de você.

UR: Como foi receber o Troféu Mulher Imprensa de contribuição ao jornalismo para a TV brasileira em 2012?

GM: Quase morri, foi um grande momento da minha vida. Sempre acompanhei a revista imprensa, fui capa, objeto de matéria. Certamente um dos grandes momentos da minha vida e carreira.

gloria4

UR: Em várias entrevistas por aí, você fala que suas duas meninas (filhas) mudaram sua vida. Como é a sua rotina com elas?

GM: Mudou tudo! Minha vida mudou totalmente, para melhor. A rotina é bem pesada, meu trabalho é planejado à partir delas... hoje faço a minha agenda de trabalho em função delas. Elas ocupam a maior parte do meu tempo e atenção.

UR: Com tantas viagens, a TV,... - sua vida é muito complexa no geral?

GM: Sim, mas cada dia é um dia, um momento diferente. Quando estou viajando, ligo várias vezes ao dia para casa, converso com elas por vídeo para matar a saudade, pois sofro muito quando estamos longe, mas, mesmo com a distância física, faço de tudo para estar com elas. Renovar, entender, planejar um mundo, isso mostra que o mais importante é estar viva (risos).

UR: O que mais gosta de fazer nos momentos de folga?

GM: Gosto de ficar com as minhas filhas, brincar com elas, ficar em casa. Elas me ensinam a aprender a parar, a considerar, a respirar. Elas são o meu rumo!!!

UR: Você sabe cozinhar?

GM: Sim, eu sei, mas não tenho muito tempo pra isso. Claro que não sou uma Ana Maria Braga ou um Olivier, mas as meninas  me pedem “mamãe, quero batata com carninha” ou “purê de abóbora...”,...  e aí eu vou pra cozinha e faço.

UR: Qual o segredo para manter sua beleza, a saúde em si?

GM: O trabalho, fazer a atividade que você ama, ser uma pessoa legal, bacana, do bem. Eu procuro ser assim: o que eu quero de bom pra minha vida, quero pra todo mundo.

gloria2

UR: Você é carioca, mas está sempre por aqui. O que São Paulo representa pra você?

GM: Adoro São Paulo e conheço o interior também. Sou a carioca mais paulista do mundo, amo São Paulo! (risos).

UR: Receitinha de felicidade?

GM: Acho que ser legal com você mesmo, pois assim estará bem com os outros. Agir com amor para gerar amor. Indiscutivelmente.

Fotos: Arquivo pessoal Glória Maria / Rosângela Cianci / Luis Crispino


botao voltar

Rosângela Cianci

Rosângela Cianci. Jornalista, blogueira, repórter, apresentadora, produtora de TV e idealizadora do site Universo de Rose. Incansável observadora do cotidiano, apaixonada pelo que faz. Ex-Secretária Executiva, sempre lidou com Diretoria e Presidência mas prestes a completar Bodas de Prata na área, resolveu desengavetar um sonho antigo: o Jornalismo. E partiu pra nova luta com 40 (e uns anos), "pois meu negócio é escrever e conversar sobre assuntos de A a Z"...

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.