Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 891
Menu

« »

Content

Ansiedade prejudicial na infância

Todas as crianças sentem ansiedade. É esperado e é normal que cada criança sinta­-se ansiosa em determinadas fases específicas do desenvolvimento. Por exemplo, entre 8 meses e a idade pré-­escolar, crianças saudáveis podem apresentar angústia (ansiedade) em tempos de separação de seus pais ou outros entes queridos. Crianças podem ter receios de curta duração como o medo do escuro, tempestades, animais, ou estranhos.

meninadoce

No entanto, se as ansiedades se tornarem graves vai interferir nas atividades diárias das crianças. Um tipo de ansiedade que pode necessitar de tratamento é chamada de ansiedade de separação. Ela inclui:

- recusando­-se a ir à escola;

- queixas frequentes de dores de estômago e outros desconfortos físicos;

- preocupações exageradas sobre dormir fora de casa;

- ser muito apegado a seus pais;

- birras e pânico quando separadas de seus pais;

- problemas para dormir ou pesadelos.

Outro tipo de ansiedade (fobia) é quando a criança tem medo específico de cães, insetos ou agulhas e esses medos causam angustia significativa.

Algumas crianças ansiosas tem medo de encontrar ou falar com pessoas que não conhecem. Crianças com essa dificuldade pode ter poucos amigos fora da família.

Outras crianças com ansiedade severa podem ter:

- muitas preocupações sobre as coisas antes que algo aconteça;

- preocupações contínuas sobre o seu desempenho na escola, com os amigos ou nos esportes; 

- pensamentos e ações repetitivas (obsessões);

- vergonha ou medo de cometer erros;

- baixa auto­estima.

Os pais devem estar atentos a sintomas de ansiedade severa, para que possam intervir o mais rapidamente possível e evitar complicações.

O tratamento precoce pode evitar problemas futuros, como a perda de amizades, a incapacidade de alcançar o potencial social e acadêmico e sentimentos de inutilidade. Os tratamentos podem incluir uma combinação das seguintes características: psicoterapia individual, terapia de família, medicamentos, tratamentos comportamentais e consultas com funcionários da escola.

Pense nisso e uma ótima semana!

Colaboração especial: Rafael Sandrimbotao voltar

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.